15 de abril

Publicidade no Instagram? Chegou e já está rolando nas timelines alheias.

insta

Quando falamos em usuários, o Instagram apresenta seus maiores números nos Estados Unidos e depois no Brasil. É claro que não demorou muito para que a plataforma começasse a extrair todo o seu potencial de impacto com o objetivo de oferecer ações, inicialmente tímidas mas com certo potencial, para as marcas por meio do bombardeio dos usuários. O Twitter já fez isso e que eu saiba, até agora, não vingou aqui em terras tupiniquins. Aliás, quando falamos em anúncios no Twitter, esbarramos em vários… eu disse  V-Á-R-I-O-S empecilhos. Seja eles de comunicação ou até na exorbitância dos valores (e isso pode até ser tema de outro post). E quanto potencial o Twitter tinha… Mas aí amornou.

Antes da equipe do Zukemberg apostar em formatos de anúncios para o Instagram, aqui no Brasil já tinha uma galerinha ganhando uma grana com o #Instamission. E olhe que em 2013 eu quase cai para trás quando resolvi orçar uma ação no projeto com as fundadoras.

Pensem comigo: hoje em dia o sucesso de toda ação digital é medido por meio de métricas. Quando o #Instamission estava bombando, não havia uma mensuração real além dos coraçõezinhos e participações de envios. Sem miúdos ou trocadilhos, falávamos apenas de branding.

Aí o tempo passou e a ferramenta começou a agregar mais valor potencial para as agências com as suas novas possibilidades, entre elas: o  envio de vídeos e algumas marcas já se aproveitaram dessa funcionalidade.

Finalmente os anúncios chegaram ao Brasil. Mas claro, que só algumas agências poderão fazer esses anúncios porque ser simples não é tarefa fácil para os colonizadores digitais desse país. Claro! Eles ainda estão só testando para medir a aceitação ou rejeição do público. Mas e na hora de vender isso para o cliente tão alucinado por métricas, hein? Será que no pacote vem um Instagram Analytics?

Aguardaremos cenas dos próximos capítulos…


,,,,,,,,, Sem comentários
15 de novembro

Eleições 2012: O que podemos esperar do marketing político digital? via @alinnefernandes

O STE (Superior Tribunal Eleitoral) já definiu e divulgou: as eleições 2012 serão realizadas em seu primeiro e segundo turno nos dias 7 e 28 de outubro. Prefeitos, Vice-Prefeitos e vereadores serão escolhidos  nos mais de 5.000 municípios desse Brasil.

As especulações sobre as convenções partidárias já começaram e muitas coisas foram definidas. Os articuladores de campanhas eleitorais já começaram a colocar a mão na massa pensando no off, mas e o on?

Nas primeiras eleições em que trabalhei (2008) desenvolvendo projetos políticos digitais, a realidade digital do Brasil era bem diferente. Primeiro que a campanha em questão também era relacionada à escolha de Prefeitos e vereadores, segundo que o fenômeno Barack Obama havia acabado de acontecer e, apesar de muitos quererem imitar, não sabiam por onde começar e nem se davam conta que as transformações dessa nova forma de comunicar ainda estavam acontecendo aqui no Brasil e os Internautas ainda estavam em fase de experimento. Mesmo assim, os pequenos projetos dos quais tive o prazer de trabalhar (todos voltados para candidatos a Vereadores), me trouxeram resultados satisfatórios.

(mais…)

,,,,,,,, 2 Comentários