22 de março

Como a Sadia, Perdigão, Seara e Friboi lidaram com o escândalo da Operação Carne Fraca na Internet

No dia 17 de março os brasileiros foram pegos de surpresa com a divulgação, na mídia, do escândalo envolvendo a produção e comercialização de carne podre, com papelão e até com produtos cancerígenos que, segundo os grandes veículos de comunicação, eram usados para mascarar a aparência e cheiro dessas carnes estragadas durante o processo de distribuição e venda em todo o Brasil.

Imediatamente comecei acompanhar não só as notícias (afinal de contas, como todo brasileiro, eu também fiquei chocada e me senti lesada entre outras coisas), mas também de que forma todas os envolvidos começaram a se posicionar na Internet.

Até o fim do dia 17, as pessoas ainda não estavam indo nas redes sociais dessas marcas para falar sobre o assunto. Pelo menos era o que parecia…

Então, resolvi eu mesma ir lá e comentar para ver de que forma se posicionavam.

Em uma breve pesquisa pude constatar que todos os sites da  BRF estavam fora do ar, já os da JBS estavam lá para quem quisesse acessar, porém sem nenhuma nota de esclarecimento a população.

Então me dirigi aos Facebooks oficiais dessas marcas para fazer o questionamento que todo mundo queria ou, pelo menos, deveria querer naquele momento.

Vamos aos fatos…

FACEBOOK FRIBOI

 

A última atualização do Facebook da Friboi aconteceu em dezembro de 2015. E mesmo o perfil sendo oficial, parece que não tem gente monitorando ou pelo menos se relacionando. Seguiram a linha “se fazendo de mortos” e até hoje 22/03 não responderam meus questionamentos na fan page.

FACEBOOK SEARA

 

A Seara, por sua vez, pode ter feito seu último post em dezembro de 2016, mas está lá. Firme e forte monitorando e apagando os comentários referentes ao problema. Apagaram, inclusive, o meu.

 

resposta perdigão

A Perdigão adotou a linha de dar a cara pra bater e resolveu se posicionar. Mas isso só aconteceu em 20/03 (3 dias após a divulgação do escândalo).

Estão respondendo mas sem divulgar nenhuma nota no Facebook (pelo menos até agora, 13h de 22/03).

SADIA

 

A Sadia não começou a se pronunciar no dia 17 e nem respondeu ao meu questionamento (com o link da matéria que saiu na Exame), mas tem respondido aos questionamentos dos demais internautas (começaram dia 19/03) e começou a divulgar um vídeo para consumidores e outro estrelado pelos próprios colaboradores atestando a qualidade dos produtos e a felicidade que possuem em trabalhar para a marca.

Além disso, todas elas resolveram se posicionar em seus sites com notas de esclarecimento, exceto a Perdigão (que é da BRF).

A Sadia (no caso a BRF), além e divulgar um post patrocinado na Exame também criou uma espécie de hotsite com esclarecimentos sobre algumas questões. www.brf-global.com/brasil/portasabertas/comunicado-oficial-a-imprensa.html

BRF

SITE SADIA

 

VIDEO SADIA FACEBOOK

VIDEO SADIA COLABORADORES

*Os sites da BRF já estão novamente no ar.

 

Site Friboi

SITE FRIBOI

 

O site da Academia da Carne (da Friboi) não apresenta nenhuma nota de esclarecimento.

 

Site Seara

SITE SEARA

 

É  importante esclarecer por meio do canal principal e institucional, mas é fato que muito mais importante (sobretudo nos dias de hoje) ter um posicionamento rápido, diferenciado e em tempo real nas redes sociais.Resumindo: um SAC decente.

Nenhuma das marcas se pronunciou no dia 17. Isso demorou pra acontecer e, como vocês podem ver, algumas ainda estão falando pouco sobre o ocorrido.

A BRF mesmo com todo um trabalho desenvolvido em prol de esclarecer sobre os fatos, parece ter esquecido de viabilizar a mesma comunicação por meio da Perdigão.

E fica aqui a pergunta: As empresas brasileiras estão, de fato, prontas para gerenciar uma crise de imagem na Internet?

 

,,,,,,,,,,,,,,,, Sem comentários